A Cachaça como Patrimônio Histórico e Cultural do Brasil

Autor:
Livia Borrelli

Bebida Nacional Brasileira

“O gole de cachaça, o jogo do bicho e o futebol fazem parte da alma do brasileiro”, frase de Gilberto Freire, retrata perfeitamente a admiração do brasileiro pela cachaça, a bebida nacional.


Atualmente, existem 2 versões para a história da cachaça. A primeira é que antigamente, no Brasil, para se ter melado, os escravos colocavam o caldo da cana-de-açúcar em um tacho e levavam ao fogo. Não podiam parar de mexer até que uma consistência cremosa surgisse. Um dia, cansados de tanto mexer e com serviços ainda por terminar, os escravos simplesmente pararam e o melado desandou! O "azedo" do melado antigo era álcool, que aos poucos foi evaporando e formou goteiras no teto do engenho, que pingavam constantemBarril de cachaçaente. Era a cachaça, já formada, que pingava. Daí o nome "pinga". Quando a pinga batia nas suas costas marcadas com as chibatadas dos feitores, ardia muito. Por isso deram o nome de "água-ardente".


Destilação da cachaça A origem da cachaça está na garapa, um sub-produto da produção de açúcar que se obtém a partir da espuma que se forma na caldeira em que se purifica o caldo de cana e que era colocada ao relento em cochos de madeira para alimentar os animais. Como fermenta com relativa facilidade, um dia alguém experimentou essa garapa fermentada e notou que era melhor do que o cauim, uma bebida que os índios produziam a partir da fermentação do milho ou mandioca.


Diversos tipos e marcas de cachaçaEssa Garapa Fermentada tornou-se conhecida por cagaça e passou a ser fornecida aos escravos para que pudessem suportar melhor a pesada carga de trabalho nos canaviais. Logo, porém, tiveram a idéia de destilar a cagaça, nascendo assim a cachaça ou "vinho" da cana-de-açúcar, cujos registros apontam a descoberta feita por acaso entre 1532 e 1548, na Capitania de São Vicente.

Caipirinha feita na hora
A cachaça é o terceiro destilado mais consumido no mundo, ficando atrás apenas da vodca e do soju, destilado coreano feito do arroz e da batata doce, bebido em toda Ásia. No Brasil, apenas a cerveja, um fermentado, está na frente da cachaça. Atualmente o Brasil tem 30 mil Fabricantes de Cachaça sendo São Paulo o maior produtor de cachaça industrial e Belo Horizonte, a capital de Minas Gerais, o maior produtor de cachaça artesanal.

Mas não se preocupe você também poderá degustar a cachaça em qualquer boteco de qualquer cidade do país. Nos últimos anos, também se destacam no ramo “cachaceiro” as cidades de João Pessoa e Fortaleza.

Garrafas de CachaçaPor definição, a cachaça é a aguardente de cana que possui teor alcoólico entre 38% e 48%. Ela pode ser classificada como branca – em geral, engarrafada logo depois de produzida – ou envelhecida, com cor, aroma e sabor alterados pelo armazenamento em barris de madeira por um ano, no mínimo. Se a envelhecida permanece mais de três anos armazenada nos barris recebe a qualificação de Cachaça Premium ou Extra Premium.


CaipirinhaAntes de ser um produto econômico, é uma das mais belas expressões da cultura brasileira. A prova da vitalidade e permanência cultural da cachaça está no patrimônio linguístico que criou e continua a criar, já que existe um acervo disponível de cerca de mil sinônimos da palavra cachaça, dentre elas pinga, goró, esquenta guela, branquinha, cobertor de pobre, lisa, malvada, cana, etc.

Drinque de Cachaça

A Degustação de cachaça com certeza é uma arte pois constitui a mais poderosa ferramenta, o caminho mais legítimo e confiável para que você conheça a cachaça.  Para degustá-la, coloca-se um gole na boca e com ele realizam-se movimentos para senti-la na língua e bochecha, procurando identificar os gostos: adocicado, ácido, amargo e salgado. Uma boa degustação implica o ambiente, um copo de vidro com parede lisa, transparente e incolor e envolver a mente e o corpo com os 5 sentidos. Definitivamente, degustar e beber são atos culturais distintos.